Feliz Ano Novo… Happy New Year…

31 12 2007

Neste voltar de página de 2007,vou querer guardar algumas lembranças para o próximo ano. Os momentos com os meus amigos de sempre. O tempo com algumas pessoas especiais. A família. Os meus companheiros de labuta. Espero, acima de tudo, que 2008 traga ainda mais felicidade, para eu poder partilhar com todos aqueles que amo, verdadeiramente. Quero sorrir mais e fazer sorrir ainda mais, de uma forma franca e espontânea. Quero estar no lugar e no momento em que aqueles que amo precisarem de mim. A missão não sei se vai ser fácil, mas prometo estar de braços abertos para aquele abraço de amizade que não podemos descrever com palavras. Porque, mais do que os braços abertos, vou tentar manter-me atento àqueles que amo muito, mesmo muito. Para que, quando precisarem de mim, eu estar por perto, mesmo sem estar fisicamente. Tal como as estrelas, que não precisamos olhar para o céu para sabermos que elas estão lá, eu prometo que estarei sempre aqui. Para partilhar as muitas alegrias, que espero encontrar em 2008, e ser solidário nas eventuais tristezas que possam aparecer. Estou confiante que o próximo ano vai trazer montes de coisas boas para aqueles que me rodeiam. Deus há-de nos ajudar a concretizar os nossos sonhos, independentemente dos obstáculos que nos possam surgir no caminho. BOM ANO para todos…  





Feliz Natal… Happy Christmas…

24 12 2007

A todos aqueles que costumam vir a este blog, conhecidos ou menos conhecidos, deixo votos de um Santo Natal e um Ano Novo com tudo aquilo que sonham. Que a estrela da anunciação nos dê a Boa Nova e nos traga a força e energia necessária para começarmos 2008.

Um abraço cheio de amizade e um sorriso do tamanho do Universo!  





Poema da vida…

19 12 2007

Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados
Para chorar e fazer chorar
Para enterrar os nossos mortos —
Por isso temos braços longos para os adeuses
Mãos para colher o que foi dado
Dedos para cavar a terra.
Assim será nossa vida:
Uma tarde sempre a esquecer
Uma estrela a se apagar nas trevas
Um caminho entre dois túmulos —
Por isso precisamos velar
Falar baixo, pisar leve, ver
A noite dormir em silêncio.
Não há muito o que dizer:
Uma canção sobre um berço
Um verso, talvez de amor
Uma prece por quem se vai —
Mas que essa hora não esqueça
E por ela os nossos corações
Se deixem, graves e simples.
Pois para isso fomos feitos:
Para a esperança no milagre
Para a participação da poesia
Para ver a face da morte —
De repente nunca mais esperaremos…
Hoje a noite é jovem; da morte, apenas
Nascemos, imensamente.

Vinicius de Moraes





Perdoar…

14 12 2007

«É mais fácil perdoar nossos inimigos que nossos amigos».

William Blake





Felicidade…

14 12 2007

«Não seja impaciente. A felicidade nem sempre está longe de si».

Jossei Toda





É Natal…

12 12 2007

É Natal! Na rua, gente aos montes. Entram e saem das lojas numa azáfama repetida e contínua. Parecem formigas. Agem quase que de forma irracional. Ainda assim, caminham de forma ordeira, com sacos de compras e pequenos que fazem birras exigindo um brinquedo. São novos e velhos, de todos os estratos sociais. Isso também não importa. É Natal… já disse… é Natal… E para o ano há mais…