Um prenúncio de uma boa semana…

25 08 2008

Hoje despertei com uma pequena, mas muito bela, surpresa no meu quintal. Uma espécie rara de cardeal, que me foi oferecida há algum tempo, tinha um botão aberto. Interpretei esta pequena prenda como um bom prenúncio para a semana que agora começa. Estou confiante que sim. Estava a precisar de um pequeno “sinal”, como este, para carregar energias. A Natureza tem destas coisas…

 

PS – Dada a beleza da flor e por tratar-se, de facto, de uma espécie rara de cardeais… não resisti a partilhá-la convosco neste meu pequeno quintal virtual, na esperança que ela produza o mesmo efeito naqueles que a virem.

 





Todos os sonhos do mundo…

6 08 2008

«Não sou nada

Nunca serei Nada

Não posso querer ser nada

À parte isso, tenho em mim

Todos os sonhos do mundo»

Fernando Pessoa





Como é que nos podemos cansar de viver…?

3 08 2008

Li um post num blog onde o autor (no caso até era autora) dizia: “estou cansada de viver”. Para além do desespero que suponho possa estar na origem de um pensamento como estes, fiquei a pensar se algum dia poderíamos ficar, de facto, cansados de viver. Acho que podemos até ficar cansados da forma como vivemos. Mas, viver não cansa. Talvez custe saber viver… O mais fácil é deixar cair os braços, de cansaço, de desespero. Mas a vida… é um bem precioso. Demasiado precioso para deixá-la escapar no tempo. Por isso… custa-me a aceitar… a expressão “cansado de viver”… Nós queremos, sempre, viver melhor. É nessa direcção que corremos. Nem sempre o mundo, o contexto em que vivemos, é colorido como queremos. Mas, temos sempre a possibilidade de melhorar aqui e ali, fazendo e contribuindo para um mundo com mais felicidade, amor, paz e tranquilidade. É assim que devemos encarar a vida. Sem cansaços. Sem canseiras. E, sempre que possível, com um sorriso.





A beleza do mundo…

1 08 2008

 

Indiferente a qualquer acção do homem, a natureza presenteia-nos com alguns instantes memoráveis. Não contribui com nada para este cenário. Não acrescentei nada a este pôr do sol. Limitei-me a capturá-lo com a objectiva da minha máquina. Este é um momento, no Paul do Mar, que guardarei para sempre. Sobretudo pelo que de bom ele representa. O tempo passa e o universo não pára de nos surpreender. Acho que devíamos despender mais tempo a apreciar cada um desses momentos e a guardá-los para sempre, como um sonho eterno, prolongando-os no tempo.