Presépio do Mundo

29 12 2008

Acenda-se de novo o Presépio do Mundo!
Acenda-se Jesus nos olhos dos meninos!
Como quem na corrida entrega o testemunho,
passo agora o Natal para as mãos dos meus filhos.

E a corrida que siga, o facho não se apague!
Eu aperto no peito uma rosa de cinza.
Dai-me o brando calor da vossa ingenuidade,
para sentir no peito a rosa florida!

Filhos, as vossas mãos! E a solidão estremece,
como a casca do ovo ao latejar-lhe vida…
Mas a noite infinita enfrenta a vida breve:
dentro de mim não sei qual é que se eterniza.

Extinga-se o rumor, dissipem-se os fantasmas!
Ó calor destas mãos nos meus dedos tão frios!
Acende-se de novo o Presépio nas almas.
Acende-se Jesus nos olhos dos meus filhos.

Poema de David Mourão-Ferreira





Rosa amarela…

19 12 2008

Dizem que as rosas amarelas representam o amor eterno, harmonioso. Representam, ainda, o dinheiro. Curioso, as minhas roseiras, miniatura, deram flor esta semana. Será isso um sinal? Esperemos que sim, pois seria uma boa maneira de acabar o ano. Se não for nenhum sinal, as rosas não deixam de ser bonitas por causa disso. E, por isso mesmo, deixo-as aqui. Que seja um sinal, se for caso disso, ou que sejam apenas… rosas amarelas a desabrochar, que é o que elas são.

rosa_amarela





Estrelícias… um símbolo emprestado

19 12 2008

Muitas vezes associada à imagem da Madeira, a verdade é que as “Estrelícias” são flores que foram introduzidas na ilha, onde encontraram condições favoráveis para se desenvolverem. Também não é do meu quintal, mas pronto, não deixa de ser bonita. Desde miúdo, esta flor lembra-me os cisnes. Se me fosse dada a possibilidade de a baptizar, seria isso mesmo, “Cisnes”…
estrelicia





Protea… uma flor de uma beleza extraordinária

19 12 2008

Depois dos “Sapatinhos”, deixo aqui uma outra flor, uma protea. Esta não é do meu quintal, mas não resisti a fotografá-la.

protea





Sapatinho, uma flor característica ao Natal

19 12 2008

Na ilha da Madeira, o “Sapatinho”, como é conhecido popularmente, é uma flor característica da quadra Natalícia. E, porque é Natal, partilho aqui um exemplar… directamente do meu quintal.

sapatinho





Teias de aranha…

16 12 2008

«Constóis a vida como uma aranha constrói a sua teia.

São muitas tentativas, por vezes, só para criar um fio»


in “O Livro do Messias” de Richard Bach





Perguntas… e respostas

16 12 2008

«A maior razão para não conheceres as respostas é não teres feito as perguntas»

in “O Livro do Messias” de Richard Bach